Monday, February 27, 2017

Oscar 2017: um final inusitado


Quem assistiu ao Oscar 2017 foi brindado com um final inusitado.

La la land havia abiscoitado os Oscars de Melhor Design de Produção, Melhor Fotografia, Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção (City of Stars), Melhor Diretor e Melhor Atriz.

Quando Faye Dunaway e Warren Beatty se aproximaram dos microfones, o antes favorito passou a ser favoritaço. Favas contadas. Era óbvio que La la land receberia a estatueta de Melhor Filme.  

Ledo engano!

Desde sempre, surpreender é a regra na Academia, e a estratégia de aumentar as indicações para Melhor Filme apenas reforçou a possibilidade dessa, digamos, “tendência” recente na história do Oscar de “descolar” a premiação de Melhor Diretor e Melhor Filme.

O pungente drama Moonlight acabou sendo o vencedor.

Mas o modo como isso aconteceu foi nada menos que extraordinário.



A dupla que em 1967 protagonizou Bonnie e Clyde: uma rajada de balas apresentou, um por um, os indicados.

A honra de abrir o envelope coube a Beatty, que, ao olhar o conteúdo, pareceu hesitar.

O suspense aumentou ainda mais. Seria algo combinado, uma brincadeira?

O diretor de Reds mostra então o que está escrito para a atriz de Rede de intrigas.

A diva Faye Dunaway não pestaneja e lê:

“La la land”.

(Detalhe: ela não cita os nomes dos produtores como é de costume neste prêmio.)

Tudo foi muito rápido e esquisito.

Os produtores e realizadores de La la land incontinenti se levantam sorridentes e sobem ao palco.

Começam a discursar.

Até que...

Algo inusitado aconteceu.

Em meio aos discursos, uma movimentação estranha começou a acontecer no palco.

Até que...

O próprio produtor de La la land, o primeiro que havia discursado, avisa que houve um engano e mostra para as câmeras o cartão certo: Moonlight, agora, sim, seguido dos nomes dos produtores do filme.
Em seguida, desenxabido, Warren Beatty esclarece que, um pouco antes, ele não havia tentado ser engraçado, mas sim havia percebido que o conteúdo do envelope estava errado. Dizia

"Emma Stone, La la land".

Portanto, era o envelope de Melhor Atriz, e não o de Melhor Filme.

A equipe de La la land sai do palco em estado de choque, estupefata.

Os produtores de Moonlight, por sua vez, não cabem em si de contentamento, não acreditam naquela reversão completa das expectativas.

De modo inusitadoMoonlight termina a noite com três Oscars: Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Filme.


Momento histórico: o produtor Jordan Horowitz, de La la land,
pega a cédula das mãos de Warren Beatty e mostra para o mundo o verdadeiro vencedor.

1 comment:

Márcia Knop said...

Como se diz na minha terra: marmininu! E não é q tiraram o doce da boca da criança?! Nem o melhor roteirista seria capaz de escrever esse final! Passado o susto, ri alto com o mico!